Setor Educação da CNBB promove o III Encontro da Pastoral da Educação na Amazônia

O Setor Educação da Comissão Episcopal Para Cultura e Educação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promoveu, no último sábado, dia 23 de outubro, o III Encontro da Pastoral da Educação na Amazônia, que teve como tema: “Os desafios e encantos de ser educadores e educadoras na Amazônia” e o lema: “Sonhamos com uma educação que integre e promova todos os povos”.

A formação, totalmente online, reuniu mais de 400 educadores dos Regionais da CNBB que integram a região Norte do Brasil: Noroeste, Norte1, Norte 2 e Norte 3. A transmissão ocorreu canal do Youtube da Comissão para Cultura e Educação da CNBB e teve como mediadora, a assessora da Pastoral da Educação do Regional Norte 2, professora Lady Anne de Souza, que também fez a acolhida e abertura do encontro.

“A Amazônia é uma região rica em diversidade, com inúmeros costumes e saberes populares que encantam o mundo todo. Contudo, essa diversidade é acompanhada pela desigualdade social. É urgente investir esforços em debates que provoquem reflexões em vista de políticas públicas e de novos paradigmas que objetivem o bem viver e equidade social para as várias realidades vivenciadas pelos muitos povos que habitam na ‘Aldeia Amazônica’, chão Amazônico”, destacou a professora Lady.

Inspirados pelo Pacto Educativo Global do Papa Francisco, a Pastoral da Educação da Região Norte, propôs que toda a sociedade, em especial os educadores e educadoras de todos os segmentos sociais, promovam uma Educação que dialogue com as diversidades, sobretudo a diversidade dos povos amazônicos, formando a aldeia que educa, colocando-se a serviço dos povos, promovendo a fraternidade e a pratica do amor ao próximo.

Depois de ouvirem as mensagens de incentivo do arcebispo de Montes Claros (MG) e presidente da Comissão para Cultura e Educação da CNBB, dom João Justino de Medeiros e do arcebispo de Porto Velho (RO) e presidente do Conselho Indigenista Missionário (CIMI), dom Roque Paloschi, representantes dos quatro regionais apresentaram suas vivências como Pastoral da Educação.

A palestra central foi proferida pelo professor do Instituto de Ciências da Educação da Universidade Federal do Pará (UFPA), Salomão Hage e pela professora da Universidade Federal de Roraima (UFRR) e assessora da Rede Eclesial Pan-Amazônica – REPAM/CNBB) e da Cáritas Brasileira, Márcia Oliveira.

O professor Salomão Hage (UFPA) aprofundou os desafios no chão da Amazônia e afirmou que “nossa relação com a Amazônia precisa modificar, ou seja, sair da perspectiva neocolonizadora. A Amazônia não é nossa. Nós que somos da Amazônia. Então, precisamos rever este paradigma e buscar alternativas sustentáveis para superar os desafios. Olhar para a Amazônia com o sentido de cuidado, de ouvir seus clamores”, disse.

Já a professora Márcia Oliveira (REPAM/UFRR) refletiu a Educação na perspectiva do Sínodo para Amazônia e da Exortação Apostólica Querida Amazônia. “Temos que avançar para as águas mais profunda da Educação”.

Participaram também da live:

  • O bispo auxiliar da Arquidiocese de Belém (PA) e referencial da Pastoral da Educação do Regional Norte 2, dom Antônio de Assis Ribeiro, que aprofundou o rosto amazônico na Educação;
  • O bispo de Conceição do Araguaia (PA) e referencial da Pastoral da Educação do Regional Norte 3, dom Dominique You, que motivou os educadores e falou de comunhão na caminhada da Pastoral;
  • O bispo da Prelazia de Itacoatiara (AM), dom José Ionilton, que falou da necessidade de implantar a Pastoral da Educação no Regional Norte 1 e seu incentivo, que o regional já fez a escolha do Bispo referencial e do assessor;
  • O bispo de Cruzeiro do Sul (AC) e referencial da Pastoral da Educação do Noroeste, dom Flávio Giovenale, incentivou os educadores a fortalecerem a Pastoral, lembrando que Papa Francisco acredita na Educação.

O assessor do Setor Educação da CNBB, padre Júlio César Resende, destacou a caminhada para a realização do encontro e falou do Pacto educativo Global.

“O Pacto Educativo Global convoca a todos e lembra o provérbio africano: para educar uma criança é necessária toda a aldeia. É importante pensar em processos educativos que coloquem ao centro à pessoa humana”, pontuou.

O evento foi encerrado com a benção especial direto da Basílica Nossa Senhora de Nazaré em Belém (PA), com a leitura da Consagração à Nossa Senhora de Nazaré.

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários