Lives de Quarta: “Educação é tempo de reiventar-se”

Nesta quarta-feira, 13 de maio, a live semanal da Comissão Episcopal Pastoral para Cultura e Educação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) vai ser comandada pelo padre Júlio César Rezende, assessor do Setor Educação.

A convidada desta noite é a psicóloga e educadora, que colabora como palestrante em cursos de formação de professores e gestores escolares, Oana Gonçalves, que vai conversar com padre Júlio sobre a temática: “Educação é tempo de reiventar-se”. A live está marcada para as 20h, no perfil da comissão no instagram: @culturaeducacaocnbb.

Pe. Júlio Resende, do arquivo pessoal.

Segundo padre Júlio, a live é uma oportunidade de formação continuada dos agentes de pastoral e do público em geral, pois oferece diferentes reflexões que ajudam a pensar a realidade que o Brasil e o mundo vivenciam com a pandemia da Covid-19.

“A conversa de hoje vai abordar o papel do professor neste momento, onde uns estão com aulas online e outros na ansiedade de voltar à sala de aula. Além disso, serão partilhadas algumas indicações para viver bem este tempo de distanciamento social e as reflexões que o mesmo desperta em nós.”

As ‘Lives de Quarta’ realizadas pelos assessores da Comissão para Cultura e Educação da CNBB tem sido um diferencial neste momento de distanciamento social, no qual escolas e universidades tem adaptado suas formas de trabalhar.

“A partir dos ambientes da cultura e educação, diferentes colaboradores são convidados a partilhar suas percepções e inspirações neste tempo de pandemia. O olhar atento neste momento oferece a cada pessoa uma oportunidade de aprendizado, costumamos dizer que a escola, a universidade enquanto espaço físico está fechado, mas o processo de aprendizagem não cessa. E esse momento de distanciamento pode muito nos ensinar sobre o valor da vida, do cuidado e da fraternidade”, ressalta o assessor do Setor Educação da Comissão.

As lives tem abordado temas diversos diante da pandemia do coronavírus: o papel educativo da família, o cuidado psíquico, as experiências culturais por mídias sociais, a necessidade de reinventar-se neste tempo. O público tem sido formado por educadores, gestores escolares, estudantes universitários, pesquisadores, pessoas do ambiente artístico e dos espaços culturais e museus.

“Percebemos que os agentes das pastorais e público em geral carece de experiências de encontros que fomentem sua espiritualidade e promovam reflexão neste momento. Nossas lives pretendem manter este vínculo com a missão da Igreja nos ambientes da Cultura e Educação”, destaca padre Júlio.

Fonte: Site CNBB

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários