Meeting Point sobre os Bens Culturais na Igreja no Brasil na 56a Assembleia dos Bispos

A Comissão Episcopal Especial para os Bens Culturais, criada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), tem como objetivo fomentar o cuidado com o patrimônio material e imaterial da Igreja no Brasil, em diálogo com os órgãos governamentais e eclesiais especializados.

Para sobre os trabalhos da comissão, o bispo de Petrópolis (RJ), Dom Gregório Paixão participou do último Meeting Point da 56ª Assembleia Geral da CNBB, nesta quinta-feira (19).

Dom Gregório destacou que a comissão quer colaborar na educação dos seminaristas, presbíteros e todo episcopado, além de dar mais acesso para pesquisadores estudarem os acervos históricos do país, grande parte presente em igrejas, capelas, ermidas e mosteiros católicos.

“Sabemos que os monumentos construíram também a história. (…) A maioria dos bens culturais ao redor do mundo estão ligados à história, não apenas da humanidade enquanto desenvolvimento da arquitetura e da arte, mas principalmente ao mundo religioso”, afirmou Dom Gregório.

De acordo com o bispo, 72% dos monumentos do mundo estão ligados à arte religiosa, seja a arte cristã, católica de um modo especial, seja ligado ao Judaísmo com suas sinagogas, seja ligada ao Islamismo, seja ligada ao Budismo, ou seja, os bens culturais fazem parte de um universo de homens e mulheres que queriam agradar a Deus através da beleza.

“Os monumentos desejavam, através da sua beleza elevar o coração do homem”, ressaltou.

Além de Dom Gregório Paixão, a Comissão Episcopal Especial para os Bens Culturais é composta pelo Arcebispo coadjutor de Montes Claros (MG), Dom João Justino de Medeiros, que preside a comissão, e também pelo Arcebispo de Maceió (AL), Dom Antônio Muniz.

Fonte: http://www.a12.com

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *