GT para o Sínodo dos Bispos sobre Juventude conclui o seu trabalho no Brasil

Na tarde de segunda-feira, 25 de outubro, em Brasília, o Grupo de Trabalho (GT) para o Sínodo dos Bispos, nomeado pela CNBB, concluiu o seu trabalho. O GT foi constituído para a decupagem das respostas apresentadas ao questionário da Santa Sé, enviado por ocasião do Sínodo do Jovens, e organização das informações. Este material será enviado à Secretaria do Sínodo dos Bispos no Vaticano, e ajudará a construir o Instrumentum laboris ou documento de trabalho.

O Sínodo refletirá sobre o seguinte tema: Juventude, Fé e Discernimento Vocacional. A assembleia sinodal, presidida pelo Papa Francisco, acontecerá em outubro de 2018. O objetivo do questionário é obter uma compreensão do mundo juvenil e da sua experiência de acompanhamento vocacional. Para o Pe. Antônio Ramos (Toninho), assessor do Setor Juventude da CNBB, “o Sínodo quer motivar os bispos olharem com carinho para essa porção da Igreja. Uma porção que, bem cuidada, garantirá a saúde da futura humanidade, assim como, também, o futuro da Igreja, principalmente, quando se pensa na vida consagrada e vida eclesiástica”.

As respostas dos jovens foram recolhidas, entre 14 de junho e 31 de julho de 2017, por meio do e-mail [email protected] Dentre as informações mais presentes, acerca da escuta dos jovens, consta “Os jovens pedem para serem compreendidos. Muitas vezes os adultos não sabem ou não conseguem colocar-se no seu lugar” (COLETA DE DADOS BRASIL –  SYNODO 2018, p. 5).

A equipe organizadora do Sínodo dos Jovens considera como público, aqueles compreendidos entre 16 e 29 anos. Segundo dados do IBGE, os jovens ocupam, hoje, um quarto da população do País. Isso significa 51,3 milhões de jovens de 15 a 29 anos vivendo, atualmente, no Brasil, sendo 84,8 % nas cidades e 15,2 % no campo.

O trabalho foi realizado a partir das respostas oferecidas ao questionário, apresentado pelo Papa Francisco para a realização do Sínodo dos Jovens. Este questionário foi enviado aos jovens de dentro e de fora da Igreja. A síntese resultou num atual retrato da juventude brasileira e daqueles jovens presentes na Igreja no Brasil. A decupagem das informações resultou num denso relatório de 18 páginas de respostas correspondentes às 17 perguntas apresentadas. Este material servirá à construção do instrumento de trabalho que será utilizado durante a assembleia sinodal.

O Grupo de Trabalho foi composto pelo secretário geral da CNBB e pelos assessores das comissões de Juventude, Educação e Cultura, Doutrina da Fé e Iniciação Cristã, respectivamente, D. Leonardo Steiner (Presidente – Grupo de Trabalho), Pe. Antônio Ramos (Toninho), Pe. Danilo Pinto, Pe. Antônio Catelan e Pe. Antônio Depizolli.

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *